sexta-feira, 14 de maio de 2010

História da Indumentária - Rococó


Rococó

Na indumentária masculina, a peruca teve grande importância até a revolução francesa. Havia vários tipos delas, entre as quais as dos soldados, leve e presa com laços na nuca. Ao longo do século, esse adorno foi reduzido até ficar limitado a alguns encaracolados do lado do rosto e a uma trança. Com Luis XV, os trajes femininos tornaram-se mais solto e vaporosos; os vestidos tinham pregas nas costas e caiam até o chão. O Merinaque foi utilizado par dar volume ao traje feminino, cuja forma variava consideravelmente.
Os componentes básicos eram corpete e saias, eventualmente abertas na parte dianteira, deixando entrever as anáguas, ricamente decoradas. O corpete podia também ser aberto, mostrando uma peça de tecido bordada, com laços e rendas. As mangas chegavam até o cotovelo, muitas vezes arrematadas com enfeites. Com o reinado de Luis XV na França, começou-se a optar por um tipo de indumentária elegante e delicada. E como a França, continuava a ditar moda para o resto da Europa, em toda à parte passaram a se ver perucas e cabelos empoados, pele cor de porcelana salpicada de mouches, méis de seda, sapatos de salto alto, flores artificiais, fitas e rendas, detalhes, enfim, dessa moda frívola que deu as pessoas um aspecto de bibelô de louça. Sedas e brocados com grandes motivos florais foram usados na indumentária dos dois sexos, artificialismo encontrado para dar vazão ao gosto da época pela natureza, pois seria difícil caminhar fora dos salões com saias tão longas e sapatos de cetim de saltos altos.Ocorreu uma alteração nos penteados masculinos em relação à época anterior: o cabelo semilongo passou a ser pres atrás da cabeça por uma fita de seda.
As damas, no entanto, conseguiram exagerar ainda mais na silhueta, exaltando o volume das saias elípticas com seus paniers em contraste com as cinturas finíssimas. Durante o reinado de Luis XVI, a França manifestou um ultimo excesso na criação de perucas femininas de até 90 centímetros de altura e de saias tão largas que uma dama ocupava sozinha um banco de jardim, brigando a construção de portas com dois batentes para que elas pudessem passar com suas saias.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário